Saiu a primeira Estatística de empregos e exportação de Franca de 2019. Confira!

01/03/2019

Dados mostram que a crise continua assolando as indústrias francanas.









































































EMPREGO:  

                                                                                                                                                                                                O setor calçadista de Franca teve um Jan/2019 animador no saldo CAGED: houve um número positivo de contratações e o saldo final foi 1.680 vagas, 5,6% a mais que em Jan/2018, onde constatou-se 1.566 vagas. No entanto, a indústria francana ainda está em crise em relação ao total de empregos, visto que o numero total de vagas apurado em Jan/2019 foi de 16.221, contra 18.666 em Jan/18, -15,1% a menos. Espera-se que com as reformas e planos dos novos governantes o mercado volte a ficar aquecido e retome as compras de calçados para os próximos meses.
                 
EXPORTAÇÕES:                                                                                                                                                                                                             

2019 começou com um novo ânimo para as exportações de calçados de Franca e do Brasil. As exportações francanas apresentaram uma variação positiva de 11,6% em 2019 que correspondem a US$ 4,5 milhões contra US$ 4,0 milhões em 2017. O desempenho das exportações brasileiras não foi diferente: houve variação positiva de 23% em dólares, com US$ 99,3 milhões exportados frente aos US$ 80,7 milhões exportados em 2017. Houve também um aumento do número de pares exportados: 15 milhões em 2019 contra 11,3 milhões em 2017, apurando uma variação positiva de 33,4%. Além disso, constata-se também que os EUA, maior importador de calçados brasileiros do mundo, voltaram a importar: um aumento de 52% em janeiro de 2019, comparando com janeiro de 2017. Países europeus voltaram a importar calçados brasileiros, como o Reino Unido e Holanda, além dos tradicionais países da América Latina (Colômbia) e o Oriente Médio. A surpresa ficou para a China que aumentou suas importações de calçados brasileiros em 677% em comparação com o mesmo período do ano passado: de US$ 293 mil para US$ 2,3 milhões. 



Baixe a estatística completa aqui.