Resíduos Industriais: ações do Sindifranca

23/09/2021

RESÍDUOS INDUSTRIAIS DO SETOR COUREIRO CALÇADISTA








RESÍDUOS INDUSTRIAIS DO SETOR COUREIRO CALÇADISTA



Prezados Associados,

 

O quadro associativo vem recebendo comunicados nossos já há alguns dias, quanto às exigências legais que a EMDEF está tomando, conforme determinação da CETESB, relativas ao destino de nossos resíduos e a forma que devemos processar, como a emissão do CADRI.

Diante desta situação, é importante que os associados tomem conhecimento das providências que o SINDIFRANCA está tomando na procura de soluções que atendam a legislação ambiental, no menor custo e prazo possível, com praticidade e segurança jurídica às empresas. Dito isso, abaixo listamos algumas destas ações tomadas pelo SINDIFRANCA:

 

1. Tão logo tomamos conhecimento (em 09/08/21) através da EMDEF das exigências por parte da CETESB, realizamos 02 reuniões com a EMDEF e uma com a gerência da CETESB/FRANCA, procurando entender as exigências, e, após vários debates, informamos os associados da situação e as providências que devem ser tomadas;

 

2. Estamos buscando efetivar convênios com laboratórios licenciados. Entramos em contato com dois laboratórios especializados e licenciados em Araraquara, para elaborarmos uma parceria, tanto quanto ao preço, como de prazo nas análises dos resíduos. Esta parceria esta em andamento e em curto prazo estará assinando o contrato. Mas, hoje já estamos encaminhando empresas para estes laboratórios procurando adiantar o processo, já que a partir de sexta feira, dia 24/09/21, a EMDEF passará exigir o CADRI para depositar resíduos no aterro municipal.

 

3. Reciclagem, Solução Definitiva: Há muito anos, o SINDIFRANCA e AMCOA tem pesquisado no mercado nacional e internacional, solução definitiva em tecnologia que recicle nossos resíduos, que atenda a legislação ambiental nacional, sem provocar danos ambientais e a custos suportáveis pelo setor. Foram inúmeras viagens realizadas ao longo dos anos, na procura desta solução, além de pesquisas junto às instituições nacionais e estaduais que nos representam.

 

Este assunto, às vezes é desgastante, cansativo, mas a solução definitiva requer persistência e determinação, até que surja uma tecnologia que nos atenda. Assim, estamos em contato com 04 empresas que trabalham com reciclagem em geral. Por indicação da FIESP através do DMA (Departamento Meio Ambiente), contatamos empresa especializada em Cubatão. Após os entendimentos, as diretorias do SINDIFRANCA e AMCOA, autorizaram a demonstração e testes em loco em Franca, nos resíduos da indústria calçadista e de curtumes, através de equipamentos móveis. Os testes iniciarão em breve, onde serão acompanhados pelas entidades do processo e resultados.



Com todas essas iniciativas, o SINDIFRANCA está sempre em defesa do setor calçadista, buscando formas de atender as empresas na busca por soluções para os obstáculos que surgem. Não tem sido fácil para o setor empresarial calçadista, mas persistimos defendendo os valores da indústria e fazendo valer sua importância para Franca e para o Estado de São Paulo. Cabe às autoridades reconhecerem o valor do setor calçadista, que sempre contribuiu e contribui para o engrandecimento de nossa cidade.



Atenciosamente,

José Carlos Brigagão do Couto

Presidente do SINDIFRANCA