Emprego e exportações do setor calçadista de Franca: dados de Abril/2021

01/06/2021

Dados mostram o desempenho das exportações e emprego do setor calçadista de Franca no primeiro quadrimestre de 2021.







EMPREGOS NA INDÚSTRIA CALÇADISTA DE FRANCA 



Pelo segundo mês consecutivo, a geração de empregos vem caindo no setor em Franca. Em abril/2021 foram criados apenas 334 vagas, enquanto as demissões somaram 901 vagas, resultando em um saldo negativo de -567 vagas.

Ainda que este seja um resultado melhor que o saldo de abril/2020 (onde tivemos saldo também negativo de -3.225 vagas) em razão do início da pandemia e com o fechamento de comércio e indústria na cidade e em outros municípios do estado, a falta de constância na geração de empregos preocupa.

Foram perdidas mais de 3.365 vagas desde o início da pandemia (março/20). E a recuperação vinha acontecendo de forma lenta, mas agora com o agravamento da pandemia e sua 3.ª onda, obrigando estados e municípios a aumentarem as restrições, a geração de empregos mais uma vez foi comprometida. Muitas empresas decidiram suspender suas atividades por tempo indeterminado e aguardar um cenário mais favorável a contratações.

E este cenário pode demorar muito, já que os números mostram um alarmante crescimento no número de contaminados pela Covid-19 e suas variantes. Ainda faltam vacinas suficientes para imunizar toda a população, principalmente a de trabalhadores da indústria e comércio, já que ainda estão vacinando apenas os grupos prioritários. Faltam leitos de UTI e de enfermarias e os embates políticos não colaboram para melhoria deste cenário caótico.

Espera-se que ao final do lockdown de Franca (previsto para 10/6), tenhamos uma melhora do quadro da saúde para que as indústrias possam planejar uma reação edconômica, mas o futuro ainda é incerto.

CLIQUE AQUI para fazer o download das estatísticas completas.



EXPORTAÇÕES DE FRANCA



Segundo dados pesquisados pelo Sindifranca, as exportações em 2021 vem apresentando altas: neste mês de abril, apurou-se que Franca exportou pouco mais de US$ 3,7 milhões, um incremento de 147% em relação à abril de 2020, quando exportamos US$ 1,5 milhão. Porém, há que se destacar que naquela época estávamos no primeiro mês da pandemia e as indústrias estavam fechadas por causa do decreto municipal. Em valores médios de 2020, o esperado era uma média de exportações de cerca de US$ 5,8 milhões mensais. 

Ainda assim, a indústria francana seguiu buscando alternativas de vendas para recuperar ao menos em parte o ano de 2020. Após mais de um ano de crise da Covid-19, gradualmente vemos um aumento das exportações, mês a mês, graças ao avanço das vacinas no mundo e a reabertura de alguns mercados importantes, como é o caso dos EUA. 

No acumulado do 1.º quadrimestre do ano, Franca exportou US$ 15,46 milhões, 4,5% a mais se comparado ao mesmo período do ano passado. 


CLIQUE AQUI para fazer o download das estatísticas completas.



Fonte: SINDIFRANCA.



EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS



Dados elaborados pela Abicalçados apontam que as exportações de calçados somaram 8,5 milhões de pares em abril. O número é 76% superior ao registro de abril de 2020. Já em receita, a soma do mês quatro chegou a US$ 65 milhões, 115% mais do que no mesmo mês do ano passado. Frente ao nível pré-pandemia, 2019, apesar da queda de 15,9%, em dólares, houve um crescimento de 5,5%, em pares, no mês. No acumulado do quadrimestre, foram embarcados 40,5 milhões de pares por US$ 258,8 milhões, incremento de 10,1% em volume e queda de 4,6% em receita no comparativo com o mesmo período do ano passado. 



O presidente-executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira, destaca que, mesmo com uma base de comparação deprimida pelo auge do novo coronavírus no ano passado, o resultado aponta para uma recuperação das exportações. “Com a retomada da demanda internacional por calçados, devemos fechar o ano com um incremento de cerca de 13% nos embarques”, projeta. Segundo o dirigente, além do ambiente mais positivo, com o avanço da vacinação em massa e a normalização do comércio, o câmbio vem favorecendo a formação de preços mais competitivos para o produto brasileiro. 



No quadrimestre, o principal destino do calçado brasileiro no exterior foi os Estados Unidos, para onde foram embarcados 4,26 milhões de pares, que geraram US$ 53,56 milhões, altas de 36,5% em volume e de 4,6% em dólares na relação com o período correspondente de 2020. O segundo destino do primeiro quadrimestre foi a Argentina, para onde foram enviados 3,17 milhões de pares por US$ 28,61 milhões, altas de 18,3% e 2,2%, respectivamente, ante o mesmo ínterim do ano passado. Completando o ranking de destinos do quadrimestre, a França importou 2,76 milhões de pares verde-amarelos, pelos quais pagou US$ 19,51 milhões, altas de 11,3% e 21,1%, respectivamente, em relação a 2020. 



Fonte: ABICALÇADOS